domingo, 30 de janeiro de 2011

Por onde quer que eu vá

Não importa onde seja, onde eu esteja, há sempre alguém querido a olhar por mim. Não uma única pessoa, sempre mais que uma, sorte multiplicada. Volta tudo, eu explico melhor. Estes dias me peguei pensando: por todos os lugares em que já passei e já morei na vida, nesta curta, até agora, porém movimentada vida, em todos os cantos do mundo, literalmente, havia sempre gente querida pronta para me ajudar, me acolher, me fazer companhia. Não sou das pessoas mais difíceis para se fazer amizade, mais que isso sempre prefiro a boa vizinhança, a união de todos por uma causa única, a paz entre os seres. Mas é inegável, há quem você goste, há quem não goste tanto assim e há aquelas pessoas especiais com quem a empatia é imediata, com quem a amizade se fortalece, quem entra na sua vida para nunca mais sair, mesmo que seja da lembrança e do coração.

Então me peguei pensando em gente assim, que em todos os lugares onde eu estava algumas delas estavam também. Amigos, amigas, casais de amigos. Os que me adotaram e me levaram pra todos os lados, os que me cederam lugar para dormir, os que me trataram como filha, os que me ligavam para saber como foi meu dia e como ia a vida, os que me fizeram sorrir numa manhã em que acordei cansada, os que me fizeram chorar de rir na mesa do almoço ou na mesa do bar, os que compartilharam cafés, os que me ampararam doente, me apararam com saudades, os que me deram lições de vida, os que me fizeram uma profissional melhor, os pacientes em me ouvir ou em falar comigo. Os nomes? Felizmente precisaria de mais espaço para listá-los. E também, creio que nem preciso dizê-los, quem ler o texto, se for da lista, saberá, certamente, que a carapuça lhe serve.

Tantos lugares, tantas coisas e alguém que se fez importante estava lá. Anjos? Talvez essa seja uma imagem figurada que cabe bem ao contexto. Escrevi no passado, mas cabe ao presente, eles estão sempre presentes. Daí surgiu a reflexão de que, em cada lugar há pessoas certas no momento em que eu chego. É muita sorte da minha parte! Essa gente toda torna a vida tão mais fácil quando penso que vou encontrar dificuldade, faz o mundo tão mais acolhedor quando penso que vou enfrentar a solidão, me faz sentir bem e em casa não importa onde for. Tenho gratidão por cada um, levo comigo todos estes anjos seja na lembrança de um gesto, de um conselho, de um ensinamento, de um sorriso, dos momentos vividos. E o melhor, sempre há mais um anjo amigo para se juntar aos outros e, principalmente, a mim.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Parabéns paulicéia!

Minha homenagem a esta cidade incrivelmente linda, incrivelmente grande, incrivelmente desvairada e louca como esse bando! Parabéns cidade de São Paulo!



quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Mudanças e andanças


O blog ficou parado, fechado, empoeirado, e a vida passava depressa, mudanças aconteciam. Falta de assunto não era, quantas vezes quis escrever, mentalmente esboçava algumas linhas e textos, mas se perdiam, e aos poucos perdiam o momento de ser escritas, a factualidade, nem sei explicar bem o porquê. E a vida é uma constante mudança, a minha em especial. Meu irmão está de mudança do apartamento em que moramos há cerca de seis anos em Campinas. Na verdade estamos, o cantinho também sempre teve um pedaço meu guardado. Naquele lugar, ficaram registradas lembranças de um importante período da minha existência. As minhas coisas materiais que ainda estavam no apê já estavam encaixotadas, desde quando mudei de lá pela primeira vez. Mesmo assim voltei, rever algumas coisas que um dia foram para a caixa porque serviam, e hoje já não servem mais. De qualquer modo passa aquele filme básico na cabeça, coisas impregnadas nas coisas, coisas impregnadas no lugar. Boas coisas, mas a vida muda, a vida segue, chorei ao fechar aquela porta pela última vez. Fechou-se, outras se abrem.

Eu sigo mudando, a vida na mala me acompanha. Depois da volta, levei um tempo para achar um lugar. Achei, não que seja fixo, ainda indefinido, mas por um período é o meu lugar. Mais que o espaço físico, o espaço profissional. Uma porta que se abriu... entrei, de cabeça e coração, feliz e com vontade de achar dentro de mim a jornalista que estava parada, porém inquieta, por um lugar. A cidade da vez é São Carlos. Já faz um mês. Muito trabalho, muito aprendizado e em apenas dez dias um lugarzinho ainda mais meu, mais específico, onde eu sempre quis estar, o que sempre quis fazer. Estou feliz, bem feliz. Aproveitando ao máximo tudo que me faça mudar, no sentido de crescer, de amadurecer. É o que sinto constantemente em mim, a cada mudança espacial, uma maior ainda, a mudança íntima, do ser humano, da evolução, do desenvolvimento de todos os "eus"que me compõem.

É com essa sensação e em constante mudança que voltei a escrever no blog. Sentia falta de estar nesse espaço virtual que também é um canto tão meu, tão eu. Voltei ao lugar onde registro as experiências, sensações, pensamentos e mudanças da minha vida. Leitores e amigos, estão sempre convidados a me acompanhar na constante viagem na vida.

PS: Ainda em tempo. Um novo ano que já começa novo, que siga nessa energia de mudanças, evoluções e sucesso sempre! Grande 2011!