domingo, 14 de março de 2010

"Sou eu ": o tradicional e o novo que dá samba

Diogo Nogueira é um dos grandes nomes da nova geração do samba brasileiro. Já falei dele aqui no blog, mas quando o tema é bom, o assunto não se esgota. O álbum mais recente do artista, "Tô fazendo a minha parte", tem sido um dos mais executados em minha casa. Com algumas composições do próprio Diogo em diferentes parcerias, com músicas inéditas, traz o tradicional, porém novo samba que tem sido produzido no país. Deste disco, em especial, gostaria de destacar duas músicas, uma regravação e uma inédita: a regravação de "Não dá" sucesso do grande sambista Arlindo Cruz, lindamente cantada por Nogueira e a inédita "Sou eu", composição de Ivan Lins e Chico Buarque, só!

Em entrevista recente, Diogo contou que, certo dia, já na fase final de produção do disco, recebeu uma ligação de Chico, que disse:"tenho um samba que quero que você grave!". Imagine o que é para um artista receber uma ligação de Chico Buarque nesse tom! Não deve ser à toa que Buarque tenha presenteado Nogueira com essa música. Mostra o reconhecimento que o jovem sambista já tem (independente de ser filho de quem é, se não fosse bom não estaria nesse nível, certamente). E o samba é a cara do Chico. Basta ouvir e quem ama, quem conhece Chico Buarque nota no ato que aquilo é criação sua. A letra, o estilo, a excelência marcante do gênio. Diogo gravou a bela canção com participação de um dos pais da criança. Que dupla! O que há de melhor e mais tradicional da música brasileira, com o que há de melhor e mais novo dela. Chico e Diogo, em estúdio, cantam "Sou eu", como mostra o vídeo abaixo. Simplesmente lindo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário