quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A semana inteira, fiquei esperando...

As horas demoram a passar em Portugal, na Europa em geral. Não sei explicar porque, mas desde que cheguei aqui sinto isso, sinto que os dias parecem ser mais longos, mais demorados. No Brasil, essa sensação me era comum em dia de jogos do Corinthians, principalmente em dia de jogos mais decisivos, mais importantes, mas no geral, era da hora em que acordava até a hora do jogo ver cada minuto passar como se fosse uma hora. Agora some estas duas coisas, um lugar onde o tempo demora a passar e jogo importante do Corinthians: a quarta-feira parecia um longo mês. Somado a isso, temos ainda o fuso-horário, estamos adiantados em três horas (normalmente são quatro, mas como temos horário de inverno, cai uma hora a diferença). Se antes era preciso esperar até 22 horas, vulgo 22 da madrugada para o futebol, aqui precisei mesmo esperar o dia seguinte chegar. Meu jogo começou quase uma da manhã. E acaba quase 3, momento em que escrevo este texto. Foi a estréia do timão na Libertadores 2010, jogo contra o Racing, Uruguai, em casa.

Fora isso, desde ontem vocês acompanham meu drama de como ver a partida. Hoje passei horas instalando e desinstalando programas no meu computador, testando sites de transmissão ao vivo, para que na hora mais aguardada do dia nada saisse errado. E assim foi, até cerca de 15 minutos antes. Liguei o laptop era por volta de seis da tarde, portuguesa. Deixei sem volume o site conectado na Globo. Desde Sessão da Tarde até Viver a Vida tudo correu bem. Não travava, os socos eram esporádicos. Nessa toada fui preparando o psicológico, tomei uma ice, belisquei algumas coisinhas. Mas corinthiano nasce pra sofrer, é uma saga. Quinze minutos antes do jogo a transmissão foi cortada. Desespero! Abria outros sites, o explorer não suportou tantas janelas e não respondia, as páginas que abriam o futebol estavam com a transmissão do Flamengo. P... até na internet a hegemonia global é carioca? Aí não dá. Abre um, abre outro, pronto, a transmissão paulista. Pacaembu lotado, me emocionei como é de praxe ao ver o povão gritando. Mal a bola rolou, o site travou! Desespero 2! Atualiza uma página, abre outra, e sem entender o que se passava o Racing já tinha feito aquele gol fantasma, que surgiu não sei como, nem de onde. O jogo segue e eu, escaldada, já preparei uma verdadeira operação de guerra, praticamente a terceira grande guerra mundial, nível nuclear, era o que esperava. Eram dois sites abertos no jogo, um sem som, caso o outro travasse; rádio web conectada, também muda, caso os dois sites travassem. Belo gol de Elias, o empate, grito como uma doida, de madrugada, sozinha em casa. Espero não ter acordado ou assustado os vizinhos. Aliás, agradeço não ser despejada após esta madrugada de futebol. Após o gol me senti um pouco menos tensa, o site que transmitia o jogo também. Não travou mais, até o final do primeiro tempo, foi tão manso quanto o jogo. O único site que transmitia o timão, de modo ,"assistível", até certo ponto, não permitia a expansão da tela. Assisti, os noventa minutos num quadradinho, a bola não aparecia direito, os jogadores eram vultos, entendia as jogadas pela narração e pela lógica. Via a partida com os olhos quase grudados à tela.

Segunda etapa, Souza vem a campo. Concordei que era preciso mais ataque, mas ele?... o sofrimento alvinegro. Ok, o atacante não comprometeu, ao contrário, fez bons lances, inclusive o passe do segundo gol. Pressão corinthiana todo o segundo tempo, a torcida empurrando, "essa é minha fiel", me arrepiava ouvir, e de repente... o site trava e a mensagem de que meu computador tem problemas que precisam ser resolvidos. Pera aí Joaquim (é o nome do meu laptop) discutir a relação agora, no meio do jogo??? Prometo que depois resolvo todos seus problemas, você ganha novo anti-vírus, programas, o que quiser, mas agora não! Atualizei o site e o jogo seguiu. Fui alternando as páginas o segundo tempo todo. Uma travava, eu atualizava, enquanto seguia a partida na outra. Gol de Elias, mais um belo gol, mais um grande grito, mais uma vez o sentimento de tensão sai de meus ombros. E dos jogadores do timão também. O time parecia jogar mais tranquilo, tocar a bola mais solta, ir embalado nos gritos menos nervosos da torcida. O clima de libertadores é diferente, dá pra sentir. Elias foi o grande nome do jogo, não só pelos dois gols mas por toda a movimentação, gosto demais de seu futebol.

Valeu a vitória, a estréia positiva na Libertadores. Corinthiana, bem corinthiana. Sofrida, bem sofrida, para mim, dentro e fora do gramado. Com o Corinthians onde ele estiver, onde eu estiver. O vídeo abaixo é o sentimento descrito no início deste post traduzido em mais uma grande paródia da torcida alvinegra.

http://www.youtube.com/watch?v=_lQJqWN0dc8&feature=related


Um comentário:

  1. Eu to tão rouco que nem sei se vc vai entender minha escrtia!!! rsrsrs
    só sei que em brasília são 6:06 e acabei de chegar do jogo... hahahahahaha
    só faltou o gol do gordo, mas td bem. eu gostei do time.
    e lá no uruguay eles não vão retrancar! bjcas

    ResponderExcluir