domingo, 28 de fevereiro de 2010

Planeta Terra chamando


Catástrofes seguidas, terremotos, chuvas destruidoras, o que acontece? Coincidência? Não, sinceramente, acho que não! Verdadeiros dilúvios alagam e deslizam o Brasil, mês passado o Haiti foi destruído por um terremoto, desta vez foi o Chile. Há duas semanas chuvas e ventos arrasaram com a Ilha da Madeira em Portugal, neste mesmo período as chuvas no continente português foram mais intensas e este final de semana o país está em alerta laranja, o segundo em uma escala de quatro, que indica possibilidade de eventos com velocidade superior a 160 km por hora, ondas maiores que 7 metros e propensão à formação de furacões. Que medo! Ontem, andando pela rua já era possível sentir o vento deslocar seu corpo... Mais medo ainda em um final de semana em que catástrofes seguidas acontecem ao redor do mundo. O Japão também teve abalos sísmicos, há alerta de Tsunami na costa do Pacífico, tempestades com destruição e mortes na França e na Espanha, no Porto, desde ontem, casas e árvores foram derrubadas, o Rio Douro já sobe e começa a invadir residências à sua beira e o alerta com rio e mar são totais. O Chile, além recolher corpos em escombros tenta evitar o saque da população ao que restou de "usável" no meio da destruição. É a pura miséria humana, é o reflexo de necessidades e causas sociais muito mais profundas. Assim como no Haiti vendiam crianças como mercadorias que sobraram. Tudo tão triste.

Claro, há o científico, os locais propensos a tais fenômenos como terremotos, mas mais que isso, acho que a Terra tenta nos avisar que algo não vai bem. O verão por aí tem sido um dos mais intensos, assim como o inverno por aqui tem sido um dos mais rigorosos dos últimos tempos. Coincidiu? Não, acho mesmo que não. A Terra pede socorro e avisa do modo mais brusco que precisa urgentemente ser cuidada. Apenas desligar a torneira enquanto se escova os dentes ou reciclar o lixo da cozinha não é o suficiente. É preciso mais e de todos nós, para já, para ontem. É preciso tentar desfazer todo o mal que o homem tem feito ao seu habitat natural desde que se viu capaz de mudá-lo. Falsa impressão, com a natureza nunca poderemos, apenas interferimos nela, mas não somos capaz de detê-la, basta ver as desgraças dos últimos tempos. Até quando vamos recolher corpos em escombros, ver fome, miséria e destruição, chorar a perda de entes queridos, de cidades e populações reduzidas a pó? Até quando vamos esperar pelas gerações futuras? Eu já não sou mais geração futura e desde que era ouço isso, mas nada foi mudado. Do jeito que a coisa vai, receio que esta geração, ou mesmo seu futuro, nem exista!

* Gostaria de nunca mais usar uma imagem como essa neste blog, tampouco, e ainda mais, ver cenas assim em nossa realidade, nua e dura. Basta jogar palavras chaves no google para buscar a foto e verá coisas assim e ainda mais tristes, realmente de chorar. A imagem usada é do terremoto do último mês de janeiro no Haiti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário