domingo, 17 de janeiro de 2010

Nossa língua portuguesa

Sexta a noite, aula de pós-graduação, cidade do Porto, Portugal. A colega do lado me cutuca e diz baixinho:
- Tens um rebuçado para me dar?
Perplexa e sem entender o que ela pediu respondo:
- O que? Não entendi...
- Um rebuçado...
- Um o que? O que é isso?
- Humm não sei te explicar...
(Como assim ela quer uma coisa que não sabe me explicar o que é?)
Ela prossegue tentando se fazer entender:
- É doce, coloca na boca...
- Ah! Um chiclete?!
- Não, não é chicle (como diz em português de Portugal), esse derrete na boca...
- Ah! uma bala?
- Não sei, não sei o que é bala...
Por sorte havia uma bala na minha bolsa. Tirei-a e mostrei à colega:
- É isso?
- Isso, é isso! Podes me dar?
- Claro! Mas por favor, me escreva o nome de bala para você que não entendi muito bem o que falou...
Ainda rindo de toda a situação ela escreveu em seu caderno a palavra "rebuçado", com uma grafia bem escrita para que não restasse dúvidas. Por aqui, bala é mesmo, apenas, a de revólver.

*****
No dia seguinte, na aula de espanhol, mas uma novidade linguística: drogaria aqui não é algo semelhante à farmácia. Não, uma drogaria é uma loja que vende materiais para reparos como tintas, ferramentas, pregos, pás e algumas ainda podem ter alguma coisa de construção. Ótimo, em Portugal se vai à drogaria comprar uma chave de fenda ou um alicate, que não é de unha.

*****
As diferenças linguísticas entre o português do Brasil e o português de Portugal são diversas. Palavras novas são corriqueiras em meu cotidiano. Não que as palavras que usamos não sejam entendidas, ou até mesmo façam parte do vocabulário local, mas ,obviamente, usa-se mais as do português português. Vai pedir uma xícara de café, ou de leite? Então peça uma chávena. Um bife, uma bifana e para comprá-la vá a um talho, não a um açougue. Sendo um peão, ao invés de pedestre, ande no passeio, ao invés de andar na calçada. Um puto não tem a conotação de palavra de baixo nível como no Brasil. Simplesmente é um rapaz jovem. Mas é muito engraçado ouvir os homens dizerem "quando eu era puto", no sentido de quando eram moços. O café-da-manhã é o pequeno-almoço, me dá a impressão que logo cedo as pessoas comem arroz, feijão, um ovo frito, tudo em pequenas quantidades. O banheiro é a casa de banho. Parece que só se toma banho ali, embora enquanto pensava e comparava com "banheiro" imaginei que a raiz da palavra também seja do banho. Para a limpeza da casa de banho, nada melhor que a lixívia. Hem? É a popular cândida, a água de lavadeira, água sanitária.

Vou deixar para um outro post mais diferenças da nossa língua portuguesa...

Um comentário:

  1. hahahahahaha
    Pergunta se eles sabem o que é 'creidi', ôooooo 'creidiiiii', c tá aí?

    beijos!!!!

    ResponderExcluir