quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Parabéns ao samba!


Dois de dezembro, dia nacional do samba (no Brasil). A data merecia nem que uma singela notinha neste blog, por inúmeras razões, mais principalmente pelo samba ser uma grande companhia para mim em terras estrangeiras. Não há nada semelhante no mundo, o samba é querido aqui fora, é tema de 9 entre dez conversas de estrangeiros comigo, todos querem saber cantar e sambar, ou no mínimo admiram essa nossa cultura. Sempre amei samba, nada é tão brasileiro e autêntico quanto o bom e velho samba - já até escrevi alguma coisa aqui neste mesmo espaço (http://glauciafalandocomasparedes.blogspot.com/2009/06/o-samba-nao-morreu.html) - e é ao som deste ritmo nosso que tenho embalado minha vida numa fase tão importante. Queria poder hoje ir a um bom samba, dançar até os pés doerem, cantar até ficar rouca, lavar a alma, é o que sempre digo, o samba lava a alma e renova as energias. Na impossibilidade, seleciono os clássicos aqui na internet mesmo e em alto e bom som canto pela casa Cartola, Bete Carvalho, Zeca, Arlindo Cruz, Demônios da Garoa, entre tantos outros. Afinal, "samba, a gente não perde o prazer de cantar...". Viva o samba!

Essa música é um pouco do que é o samba, do que ele representa, da raiz, do lugar onde nasce, das origens, da saudade... "O meu lugar", que não é o da música mas existe, em algum lugar, na minha alma, guardado.



Um comentário:

  1. O amor ao samba é mais uma afinidade entre nós. O ritmo também é uma companhia maravilhosa para mim aonde quer que eu vá. Alivia a saudade do "nosso lugar", alegra os dias tristes, embala os dias alegres...
    Os versos do mestre Vinícius no Samba da Bênção definem o muito bem o ritmo, na minha opinião:
    "Porque o samba é a tristeza que balança/ E a tristeza tem sempre uma esperança/
    De um dia não ser mais triste não" Saravá!

    ResponderExcluir