quarta-feira, 29 de abril de 2009

Só é gênio quem sabe, não quem quer


Craque, fenômeno, gênio. São diversos os adjetivos que podem ser relacionado a Ronaldo. O jogo de domingo foi apenas o cenário de fundo para o show do atacante. Todos os outros em campo foram coadjuvantes, alguns de maior importância, mas ele foi e é a estrela maior. Dois golaços, talento e liderança em campo. A partida se tornou mais uma página da história de vida deste gênio do futebol nacional e mundial, mais uma prova de que quando se é craque nunca se esquece como jogar futebol. O domínio de bola, o raciocínio rápido, a visão de jogo, o drible, o gol por cobertura, só faz tudo o que Ronaldo fez na Vila Belmiro quem sabe, não quem apenas quer.


O jogo terminou 3 a 1 para o Corinthians, que colocou as mãos de modo “fenomenal”na taça. Genial, o jogador não precisa provar mais nada para ninguém, ficou provado que se levanta ainda mais forte e motivado do que quando caiu. Fora de forma, gordo, sem ritmo de jogo, em fim de carreira? Imagine se estivesse magro, em forma, com ritmo, no auge, o que ele faria mais? Faria chover, é apenas o que falta Ronaldo fazer em campo para provar definitivamente aos corneteiros que é um Deus do futebol.


E ao Rei Pelé, que o via ao vivo e comparou os gols do Fenômeno com os seus, lembro apenas que é preciso colocar no estádio do Santos uma placa em memória ao gol de Ronaldo, como um dia o próprio Pelé fez para o também cracasso corinthiano Marcelinho Carioca. Afinal de contas, o gol de domingo foi um golaço de placa, de gênio.

3 comentários:

  1. Espetacular... E viva o gordo!!!
    Temos o R9
    Os bambis de Dagorberto tem nele o D4.

    bjxxx e seremos campeões e eu estarei lá, lá no nosso reduto, na nossa morada... PACAEMBÚ!!!!

    ResponderExcluir
  2. O mais legal é que assistimos juntas esse golaço!!!

    Gênio é você mana!!! te amo maninha linda, bjuss

    ResponderExcluir
  3. Esse segundo gol do Ronaldo deu vontade de chorar, cara. Dois toques na bola. Como no primeiro dele.
    O que prova que é tão gênio que só precisa pegar 4 vezes na bola pra definir um jogo.

    Cadê você, ô Glauciááááá?
    Saudade!
    Beijo!

    ResponderExcluir