sábado, 28 de março de 2009

Asas da liberdade

Liberdade. Esta sempre foi uma palavra, atitude e um estado de espírito muito importante para mim, é algo que almejo sempre. Acredito que ela é não só direito de cada um, mas deveria ser um dever exercê-la!

Sim, mas a liberdade sadia, não a quebra de regras sociais, ou o desrespeito aos demais, isso não! Sem ambos é impossível viver, e a liberdade deixa de ser o que é, passa a ser baderna. Mas digo da liberdade nata e própria ao ser humano, o livre arbítrio, que faz de nós seres especiais, que além de agirem com instinto agem por afinidade, gostos, costumes, vontades das mais diversas.

E nem é preciso recorrer ao dicionário para entender o que digo...liberdade é compreensível a qualquer pessoa. O simples ato de escolher fazer isso ao invés daquilo, vir aqui e não ir ali, sim ou não, gosto ou não gosto, quero ou não quero, optar, opções e mais opções, as múltiplas opções e oportunidades que a vida lhe oferece em relação a tudo, e você poder escolher o que mais lhe agrada e apetece. Isso é ser livre. Para a imprensa a liberdade é mais do que necessária para o exercício de suas atividades. Liberdade de expressão, de escrita, jornalismo livre!

Digo isso tudo porque a ausência de liberdade, de poder usar meu livre arbítrio me sufoca. Deixar de fazer coisas que me alegram, coisas que amo, em detrimento de gostos e imposições alheias me faz morrer um pouco por dentro, fere minha essência, minha existência, exige que eu não seja eu mesma e isso me mata! Em um momento assim, tomada pela fúria de se ver presa pude compreender e refletir sobre algo que talvez nunca tenha pensado, ao menos de modo tão profundo: a cadeia. Prender um ser humano por ter desrespeitado a lei, as normas, é muito mais que tirá-lo do convívio social em busca de reeducação. Simplesmente tira-se do preso o que toda pessoa tem de mais rico em sua vida, o que revolta não ter, sua liberdade. Você não poder fazer o que quer a hora que quer, estar preso sem acesso à vida é humilhante... sem poder escolher e agir conforme somos perdemos a essência, deixamos de ser pessoas para sermos simples animais enjaulados.

Tirar a liberdade de alguém é como tirar as asas de um pássaro. Sem as asas o bichinho não voa atrás de comida, de abrigo, do seu bando, de ambientes propícios à sobrevivência, ele morre sem o essencial de sua vida. Ao mesmo tempo que sabemos o que é liberdade, me senti perdida para defini-la... é algo tão simples e tão complexo. Cecília Meireles tentou explicá-la, e não poderia ter encontrado forma melhor do que esta que segue, e que sempre me vem a cabeça quando me faltam as asas que tanto prezo ter:
"...Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda..."
(Romanceiro da Inconfidência)

7 comentários:

  1. Adorei!!!
    Muita gente confunde liberdade com falta de compromisso.
    Mas pra mim, liberdade é algo que não depende das nossas responsabilidades e satisfações para como outra pessoa. Liberdade é ser e fazer tudo que nos amadurece, nos ensina e nos completa. É ter compromissos e responsabilidades e conseguir administrar tudo ao mesmo tempo.
    É saber usar o livre arbítrio de forma produtiva.

    Parabéns pelo texto!
    bjxxx

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Gláucia, procure alugar o filme "Na Natureza Selvagem (Into the Wild)", dirigido pelo Sean Penn. Foi inspirado em uma história real e trata da liberdade muito além da compreensão pueril que algumas pessoas têm. O filme mostra a concepção de liberdade a qual o personagem aprendeu (família, sociedade e relacionamentos) e o renascimento quando ele decide fazer uma viagem até o Alaska. Sem contar as citações de Kerouack, Jack London e Thoreau que pulsavam liberdade em suas obras! Vale a pena assistir!
    Beijos...este blog tá bom demais!

    ResponderExcluir
  5. Liberdade é ar, oxigênio... sem ela não se vive, se molda e de moldes ninguém sobrevive.

    "Nada melhor que sentir o vento do bater de minhas asas"

    E por mais que tentem conter a liberdade nata de cada um, uma hora é inevitável rasgar os limites, sem confundí-los é claro com libertinagem.

    Parabéns nega... gostei do texto!! bjus

    ResponderExcluir
  6. Deveríamos escrever um decreto.
    Tão sincero quanto uma lágrima.
    Tão aberto quanto um sorriso.
    Um decreto de que o infinito
    É um destino sem fim
    E que todas as histórias deveriam seguir seu além.

    Precisamos descobrir nossas asas todos os dias.
    Mesmo que teimem em cortá-las.
    Não esqueça
    Cada tombo, cada jaula, cada cadeia,
    nos fortalece ainda mais.

    Quando preciar sabe,
    que vou ficar sempre por perto,
    com a chave
    pra te lembrar
    de não se trancar.

    ResponderExcluir
  7. CREIDE

    Excluí pq tinha coisa erradaaaa
    aí não dava sentido uhahuahuauha
    beijo

    ResponderExcluir